terça-feira, 24 de agosto de 2010

No Brasil, banco de germoplasma reduz perdas com hidrelétricas

Banco da Eletronorte guarda espécies que ocorrem no local alagado para a implantação do lago de Tucuruí
24 de agosto de 2010 | 19h 43

Karina Ninni - Especial para O Estado de S. Paulo

Sementes de espécies florestais da Amazônia também estão sendo protegidas em bancos. Um dos focos de atuação dos cientistas é preservar espécies ameaçadas pela construção de hidrelétricas. O Cenargen tem pesquisadores como Marcelo Brilhante, que atualmente coleta amostras na área onde será erguida a Hidrelétrica de Jirau, em Rondônia. “Palmeiras, como açaí, bacaba e tucumã, são muito usadas pelas comunidades locais.”
Outro grande banco de germoplasma da região é o da Eletronorte, criado para compensar a inundação de 2.800 quilômetros quadrados provocada no Pará pela Hidrelétrica de Tucuruí, em 1984. “Além das câmaras frias para conservação, temos quatro áreas de preservação na mata”, diz Rubens Ghilardi Junior, consultor ambiental da empresa.

A criação do banco foi precedida de um inventário. Pesquisadores saíram a campo para coletar espécies. Em uma das 1.600 ilhas formadas no lago da usina, a empresa instalou a Ilha de Germoplasma: um berçário de sementes e material genético. “Temos 130 espécies plantadas lá.”

Para obter as sementes florestais é preciso colhê-las, de preferência nas copas das árvores, o que garante sua qualidade. Entre os métodos usados estão o rapel e a escalada com uso de esporas.

Coordenadora do Laboratório de Sementes Florestais da Embrapa, em Belém, Noemi Vianna afirma que a preservação de sementes nativas ganhou impulso com projetos de reflorestamento. “Tem muita gente acreditando no plantio comercial de nativas, algo que há 20 anos só grandes empresas faziam.”

Sementes florestais saudáveis


Saiba como os cientistas obtêm sementes florestais com qualidade para armazenar e reproduzir:

1. O primeiro passo dos pesquisadores para a obtenção de sementes florestais saudáveis é selecionar matrizes na mata

2. Depois se faz um estudo da fenologia reprodutiva da espécie (floração, frutificação e dispersão de sementes)

3. Os coletores sobem nos galhos das árvores e os chacoalham para derrubar as sementes sem cortar a matriz

4. Um transporte de qualidade ruim pode comprometer sementes. Devem ser usados isopores e embalagens próprias

5. A seguir vem o beneficiamento, que pode incluir da secagem à lavagem e a retirada da polpa que envolve a semente

6. No laboratório é feita a avaliação de qualidade. A semente pode ainda ser germinada em viveiro e gerar mais exemplares

7. Dependendo do tipo, a semente é guardada em câmara fria, úmida ou seca. Nem todas elas podem ser congeladas


Tópicos: Germoplasma, florestal, embrapa, eletronorte, hidrelétricas, Vida, Planeta

FONTE: http://www.estadao.com.br

Um comentário:

MarleneRS disse...

MUITO BONITO E INFORMATIVO, GOSTEI DO SEU BLOG, MARLENE